Tuesday, 27 November 2007

Desabafos 38 - "A posteridade do ato"



Caminhava,
ele e sua irmã.
Na rua da feira,
já não havia barracas.
Apenas restos,
e uma mulher.
O saco enorme.

Recolhia tudo,
lixo de frutas.
Pedaços das vendas.
Ao passar por eles,
queria ajuda.
Parou o menino,
mandou não pediu.

Carregue este saco.
Menino pegue aqui.
Indefeso e confuso,
ele foi...
Torto, fatigante.
Mau chegara,
a primeira esquina.

Salvo pelo criador,
seu pai que vinha.
Pare aí.
Sua aproveitadora.
Estúpida e sem noção.
Aquela cena, aquele dia.
Na posteridade da menina.







willians de abreu

2 comments:

Alexandre said...

E assim este menino foi abençoado pela presença de seu genitor que o livrou das entranhas do mal.

Em nossa vida diaria nem sempre recebemos a mesma graça.

Quando vós receber a graça, procure sempre agradecer.



.:|AX3|:.
Futuro A Frente

will publi said...

sumido alexandre... belo comentario abs!!