Wednesday, 28 January 2009

Stop Motion simples, mas que impressiona.



Belas animações em stop motion quando bem feitas, conseguem impressionar os olhares de quem assiste.

Nesta, os criadores ousaram transmitir todo um enredo em cima de uma cama, usando de elementos gráficos junto com a sensibilidade, as cenas ficaram perfeitas.

Esta peça já foi noticiada em diversos blogs, recebendo inúmeros comentários, até o momento já havia sido exibida mais de quatrocentas e quarenta e uma mil vezes, recebendo quatrocentos e quarenta e dois comentários no Youtube.

A peça é do >Oren Laive, clique na imagem para ver o vídeo ou venha por aqui.





0713

Tuesday, 27 January 2009

Os pós e contras do Campus Party Brasil 2009 por uma ótica totalmente imparcial.




Fazer uma crítica sobre um evento dessa magnitude não é fácil. É realmente pisar em ‘cascas de ovos’, primeiro porque conheço alguns dos envolvidos na elaboração do evento, segundo, para quem está de fora sempre se torna mais fácil falar bem ou ruim, e terceiro, críticas muitas vezes não são bem-vindas.


Mas afinal, o que realmente melhorou ou piorou da primeira edição para esta?


Ora, deixo muito claro que esta minha análise é inteiramente imparcial, como também, ela se justifica pelo meu apreço por esta iniciativa somando a minha preocupação em ajudar a toda nobre equipe a permanecer com algo tão importante para o desenvolvimento e apoio tecnológico as novas gerações no Brasil.

Assim como na primeira edição, o Campus Party infelizmente teve sim alguns erros, no entanto, o que realmente me preocupou foi o recorde em números de participantes atrelados aos diversos problemas apontados pelos mesmos.


Gerando um ponto de reflexão sobre a relação entre o número expressivo de participantes x problemas de estrutura. Seria de fato esse um dos motivos para tantas queixas? Ou a estrutura montada de última hora, esta informação ainda não confirmada oficialmente pelos integrantes do projeto, mas, foi evidenciada logo no primeiro dia, onde a rede de internet não estava devidamente funcionando na abertura do evento.


Outro ponto que preocupou a muitos, foi a questão da segurança, haja visto, que como já fora postado e twittado por alguns, pessoas de má índole passaram por alguns seguranças com máquinas sem cadastro, também houve queixas de alguns furtos, quando apenas uma máquina fotográfica fora roubada na edição anterior. Ainda, algumas pessoas conseguiram passar com o crachá do ano passado.

Bem, posso dizer com toda a certeza que a grande maioria presente, estava extremamente interessada no que diz respeito a tecnologia, infelizmente, como todos os lugares, existem alguns desnorteados, que fazem de tudo para aproveitarem do momento da pior maneira possível.

Lógico, isto, em nenhum momento justifica os erros, porém, não posso hesitar em pontuar. Embora no ano passado, o critério da segurança fora em minha opinião, bem mais rígido, pairou a dúvida sobre a devida informação e preparação das pessoas que estariam trabalhando no local. Pois, a desinformação este ano por parte da equipe se mostrou bem maior se comparado a primeira edição.

Outro ponto me chamou atenção, a proximidade dos stands em relação as bancadas não foi bem aceita pela maioria das pessoas que estive conversando, tudo porque, o barulho entre as palestras atrapalhava tanto os palestrantes como os participantes em cada campus. Sendo evidente, com as queixas de alguns convidados nas mesas.


Agora, e os pontos bons?


Se analisarmos do ponto de vista sobre o que esse evento representa, teremos de fato, um divisor de águas, onde a dimensão tecnológica intrínseca ao aprimoramento das novas gerações, como igualmente ao aprendizado das gerações provindas da era analógica, seremos capazes de compreender a dificuldade encontrada em ações como esta.

Elaborar e desenvolver uma cidade digital com aproximadamente sete mil pessoas alojadas em um único espaço durante sete dias, é no tanto um pouco difícil. Ainda mais, se reparamos que ainda nos falta o que posso dizer “uma educação digital’. Onde, certos avanços se esbarram na dificuldade de entendimento e respeito com tais práticas.

O Campus Party, não só somou a todas as iniciativas até o momento, digo, a busca pela digitalização e interconectividade dos indivíduos em nossa sociedade, como também, vem estimulando mais apoio a causa por parte das grandes empresas.

Não contribuir com tamanha atitude, me remete a uma visão pobre e contrária, ou seja, direcionada totalmente na contramão em prol do desenvolvimento dos usuários. O Brasil, que já é penalizado pela falta de interesse público, também sofre com a falta de compreendimento de parte dos seus cidadãos.

Ao fim, manifesto aqui o meu respeito e cumplicidade com a causa, deixando claro o meu total apoio e preocupação com a continuidade do Campus Party Brasil.


Fica o meu muito obrigado.





0713

Monday, 26 January 2009

As últimas do Campus Party Brasil 2009


Foto: Willpubli (circulo) em uma das palestras do CPBlogs

Caros, foi realmente muito difícil manter o blog atualizado por estes dias, entre uma palestra e outra no campus, eu sempre encontrava algum mestre enquanto caminha pelo evento. Como no ano passado, muito networking, revi amigos que geralmente só vejo no mundo digital e claro, aproveitei para twittar freneticamente sobre as palestras, que alias, você pode conferi-las todas aqui.

Os últimos dias do #cparty2009 foi repleto de palestras, muita conversação entre os presentes e claro, rolou também um flashmob na sexta. Assim como no primeiro, os campuseiros se uniram para protestar, desta vez, ao contrário da outra edição, onde o alvo do protesto foram os jornalistas, este ano a reivindicação foi contra o proibição do barulho na madrugada. Confira isto e tudo que rolou nos posts abaixo:





Foto: FlashMob na noite de sexta-feira no #cparty



# Agência Click faz palestra com o SEO Pedro Cabral no CPLabs:




Foto: CPLabs com Pedro Cabral (AgênciaClick) e Marco Gomes (Boobox) via Flickr Metamidia


Na quinta-feira Pedro Cabral (SEO da Isobar América Latina e presidente da Agência Click) falou sobre o Open Souce Branding, projeto idealizado pela agência em parceria com os clientes Credicard Citi e Ale Combustíveis. No site do manifesto, a temática refere-se ao projeto como “Uma nova lógica que pede a participação das pessoas – estejam onde estiverem, no tempo que for, do jeito que quiserem. É aí que entram os meios digitais. Blogs, microblogs, comunidades, comunicadores instantâneos, celulares, formam o habitat natural para esse novo modo de ser da Comunicação • Open Source Branding é um novo olhar, uma nova atitude na gestão de marcas. É assumir que a imagem de marca vai muito além do conteúdo oficial das campanhas. É abrir o coração e ter jogo de cintura para assimilar histórias, sentimentos, opiniões e (re)criações lançadas pelos consumidores. É abrir a marca à inteligência que surge do coletivo.”


Pedro esteve na mesa junto com o empresário e blogueiro Marco Gomes (criador da ferramenta BooBox), os dois falaram sobre o mercado e as novas diretrizes das mídias sociais digitais nos negócios. Marco ainda lançou também no evento sua nova ferramenta de post remunerado chamado “BlinBlin”.



# Lançamento do Livro “O futuro da música depois da Morte do CD”


Na quinta-feira também foi o lançamento oficial do livro “O futuro da música depois da Morte do CD”, projeto desenvolvido pelo professor Sérgio Amadeu e Irineu Franco Perpetuo, com participações de outros profissionais como André Mehmari, Chico Pinheiro, Harry Crowl e Laan Mendes Barros entre outros.O livro foi disponibilizado gratuitamente aqui, todo em PDF, a temática é no mínimo intrigante e ainda nos abre um horizonte tanto acadêmico quanto uma ótica profissional com os relatos dos músicos envolvidos no projeto.



# Na sexta-feira a temática girou em torno dos Blogs e a Literatura no CPBlogs:



Entre uma passada e outra nos stands do evento eu sempre parava no Campus Blog para conferir as palestras, onde aproveito para parabenizar o Edney (interney blogs) que este ano foi o responsável pelo espaço dos blogs. Junto com a equipe da Pólvora, o espaço trouxe inúmeras palestras durante toda a semana, uma delas em destaque foi o tema abordado sobre a Literatura e o Blogs.

Estiveram na mesa: Albano Martins (Os viralatas), Fal Azevedo (Drops da Fal), Marcelo Duarte (Guia dos curiosos e Editora Panda Books) e Cecília Giannetti. O tema foi bastante discutido, haja visto, que os autores deixaram claro sua visão sobre os blogs, enquanto alguns justificam o aumento da sua notoriedade após o uso do blog, já o autor Albano Martins disse que pouco liga para os blogs (contraditório ou não, ele me apareceu realmente ser a moda antiga, isto é, papel e caneta apenas).

Algumas frases marcaram esta palestra, diversas delas eu twittei em tempo real enquanto os participantes discutiam o tema como por exemplo: “#cparty CpBlogs Drops da Fal diz: "Internet é internet, literarura é literatura, ainda usamos o papel";

#cparty Cp Blogs Marcelo Duarte diz: "Eu sou o caçula, meu blog só tem 9 meses" "Eu sou jornalista a 25 anos";

#cparty CpBlogs Duarte diz: “mesmo com a internet eu sempre imprimi tudo, eu tenho medo de sumir tudo depois”;

#cparty Cpblogs Duarte diz: “minha autora mais vendida é a Bruna Surfistinha”;

#cparty Cpblogs diz: “Não me importo com blogs, eu não sei oq é twitter”;

#cparty Cp Blogs diz: “O q é o peso da literatura, é o leitor” “O texto que vai pra internet é praticamente mijado”;

#cparty Cpblogs Drops da Fal diz: “Qdo pego um trabalho grande o blog sofre, minha mae lava a louça sozinha”;

#cparty Cpblogs Drops da Fal diz: “O que me da audiência é a internet, não o papel”.

No fim, a palestra foi muito interessante, é sempre bom ouvir alguns nomes bastante conhecidos no meio literário falarem sobre suas visões pessoais em relação ao uso da rede para a publicação dos seus trabalhos.

Confira todas as twittadas ‘willpubli’ no Campus Party 2009 aqui.



# Sábado e a discussão do Ciberativismo no BarCamp:


Ao 12h de sábado, o BarCamp abriu a primeira temática do dia, sobre: "Você sabia que a internet brasileira corre risco de paralisar?". Aos poucos inúmeras pessoas foram chegando para conferir o bate-papo, com a presença de Sérgio Amadeu, João Carlos Rebello Caribé entre outros.

O tema correu por uma ótica bastante complexa e muito particular pelos participantes, além de aparentemente não chegarmos a um senso comum, com exceção da preocupação com os rumos da internet no mundo, todos levantaram possíveis sugestões para o problema.

O foco principal foi o projeto de lei do senador Azeredo e suas ramificações espalhadas pelas as empresas interessadas no domínio da web.

Também fiz twittadas enquanto acompanhava este momento, veja algumas a seguir:

#cparty BarCamp "98% das lanhouses brasileiras são ilegais, mas nao sao ilegais pq querem";

#cparty Barcamp: "Não sou a favor da pedofilia, sou contra o mito";

#caprty Barcamp: "Aprovação do projeto Azeredo, tiraram o manto da pedofilia mas aprovaram a art. 22";

#cparty Barcamp "Devemos falar com sindicatos e associações para manter um fundo de ajuda em defesa da internet";

#cparty Barcamp Amadeu diz: "Nos nao temos backbone publico no Brasil";

#cparty Barcamp Marcelo diz: "temos mais de 100 projetos cômicos e que atravancam todo o processo de defesa da rede";

#cparty Barcamp MArcelo diz: "Uma organização na sociedade civil que envolva todas as outras em defesa com diversas ações em comum";

#cparty Barcamp Marcelo diz: "Demi Getschko já poderia estar rico, mas ele preferiu contribuir com a internet brasileira,..”

No final, foi divulgado a comunidade ning de apoio a causa para que todos contribuam com as sugestões e mobilizações, acesse neste endereço: http://ciberativismo.ning.com/.



# Curiosidades e os Modds no Campus.


Diferente do ano passado, nesta edição eu não realizei muitas entrevistas, apenas algumas conversas informais e as trocas de cartões de visita. Porém, bati um papo muito interessante com um empresário do ramo de Modds. Para quem não sabe, os Mods são as adaptações e mudanças feitas nos gabinetes das máquinas. Como na primeira edição, este ano o Campus aumentou a participação destes artistas.



Foto: Música remixada ao vivo com fotos dos participantes por artista gringo no stand da Caixa (via Thais Keller)



Em 2008 foram ao todo 50 inscritos, já em 2009 foram mais de 100 participantes, alguns trouxeram os modds da edição passada enquanto outros se inspiraram em novos modelos. Como no caso de Saulo Paollo Ricci , ele que aos 26 anos ao participar da primeira edição do Campus Party Brasil se inspirou no ramo e atualmente se tornou um empresário do segmento.




Foto: Diego Jandreicie e Saulo Ricci ao lado dos modds


Em conversa com Saulo, busquei algumas informações sobre esta atividade que vem crescendo muito no País nos últimos anos.

Saulo sempre trabalhou com informática, ao conhecer os modds na edição anterior, pensou em fazer algo diferente da “caixa quadrada” ele disse, e logo imaginou fazer gabinetes moldados como carros de corrida.

A partir daí, começou a fazer os primeiros protótipos usando policarbonato e desenvolvendo adesivos para ilustrar os carros. Há cerca de um ano já no mercado, Saulo garante que o mercado é “mais que promissor, e a aceitação está ótima”, afirma. O preço médio de um gabinete como os seus é de R$299, e a máquina toda montada com os hardwares junto o modding sai em torno de R$850, .





Foto: Danilo, Mika Satomi, Thais Keller e Willpubli


Além disso, os interessados podem fazer um curso gratuito com ele para aprender montar suas máquinas, hoje, Saulo conta com uma equipe de sete profissionais, mas, busca ampliar sua empresa para atender o mercado com novos produtos, como por exemplo, gabinetes feitos com os personagens da Marvel.





Foto: Luau no #cparty com Renato Di Giorgio e Willpubli


Outra curiosidade, foi conhecer Mika Satomi, japonesa, mas reside atualmente na Austrália, ela desenvolveu uma maneira de massagear jogando videogame. O “Massage Me”, através de um colete, quatro participantes jogam um game de luta, onde um dos membros das duas equipes vestem um colete, com dele, o segundo membro participante começa a apertar as costas do jogador, ao massagear o parceiro, os comandos são refletidos no jogo como se fosse o controle do console.





Foto: Willpubli jogando Guitar Hero no stand da Locaweb (via Thais Keller)


Mika foi muito simpática, embora não falasse português, me passou algumas explicações sobre sua invenção, destacou que o grande interesse foi juntar a terapia com a diversão do game.





video
Vídeo: Imagens do Flash Mob via Thais Keller




video
Vídeo: Artista gringo no stand da Caixa




video
Vídeo: Artista gringo no stand da Caixa (performace ao vivo)





Confira logo mais o post "# As impressões finais do Campus Party Brasil 2009".
continua...






0713

Friday, 23 January 2009

Quarta-feira agitada no Campus Party 2009.


Foto: Lobão, Fábio Lima e Rogério da Costa (CP Inclusão Digital - "Mobilização Social" #cparty2009 (via Thais Keller)


Mesmo atrasado com as minhas postagens, aliás, como no ano passado, são muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo, voltar para a bancada e atualizar o blog sempre fica mais difícil. Porém, hoje irei trazer um pouco mais do que foi a quarta no campus.

As coisas começaram a engrenar da terça em diante, em destaque, inúmeras palestras sobre os mais variados assuntos, e claro, as personalidades mais ilustres como sempre. De Lobão ao o “maluco” que parecia o doutor ‘biruta’ foi um dia muito agitado.



Foto: Carlos Merigo (Brainstorm#9), Gustavo Fortes (Espalhe), Marcelo Tripoli (iThink), Mentor Muniz Neto (Bullet) / (via Polvora flickr: http://www.flickr.com/photos/polvoracomunicacao)

O campus blog onde tenho permanecido a maior parte do tempo, promoveu discussões interessantes entre elas “Uso de mídias sociais na publicidade” com a presença de ‘alguns figuras’ já bem conhecidos. Participaram da mesa Marcelo Tripoli (iThink), Lucas Mello (LiveAD), Mentor Muniz Neto (Bullet), Gustavo Fortes (Espalhe) e o moderador foi Carlos Merigo (Brainstorm#9). A temática propiciou alguns pontos interessantes como "O uso de mídias sociais é algo fundamental na conversação. No dialogo, se as pessoas gostarem ela pode ser amplificada” Mello (LiveAD); (Bullet) Neto”é engano pensar que se você paga pra falar, o cliente vai estar realmente ouvindo”; (Agencia Espalhe) Fortes “A gente vende a idéia que a gente acredita que vai gerar boca-a-boca”

A tarde foi a vez da discussão em torno do uso das mídias sociais nas eleições. Participaram da mesa Rogério Bonfim (VirtualNet - desenvolvedora das apps do Google Eleições 2008), Juliano Spyer (coordenou a campanha em mídias sociais do prefeito reeleito de São Paulo Gilberto Kassab), Soninha Francine (ex-vereadora e ex-candidata à Prefeitura em São Paulo) e o moderador: Julio Daio Borges (Digestivo Cultural).

No Campus Inclusão Digital, aconteceu o debate sobre Mobilização Social promovido pela GTE e o Instituto Vanzolini, que contou com a presença sempre extrovertida do cantor Lobão, Fábio Lima e Rogério da Costa.





Foto: Willpubli e Lobão (via Raquel Camargo Flickr: http://www.flickr.com/photos/raquelcamargo)



Algumas frases de Lobão marcaram o momento, como por exemplo, “a internet está pra isso, as gravadoras criam plataformas, não podemos deixar as gravadoras morrerem”; “Eu vejo a volta do vinil, como a volta das válvulas nos cubos”; “O RadioHead começou com o lance de quanto você quer pagar no meu som, parecido também com um projeto meu” e "Pagamos TV paga para não termos propaganda, é errado termos uma enxurrada de propagandas nos canais pagos".

Bem, enquanto isso, na correria de tentar manter a blogosfera atualizada, até breve.






0713

Wednesday, 21 January 2009

Um dos momentos mais esperados na terça-feira no #cparty2009.


Foto: Tim Bernes-Lee palestrando (via flickr Alessandro Martins)



Essa foi a primeira tarde bastante esperada no Campus Party este ano, com a presença de Tim Bernes-Lee e Gilberto Gil, palestram somaram ao fim da tarde antecedendo a riqueza do evento. Em um momento histórico, uma frase histórica abriu algo crucial neste dia, “se o browser não usa padrões abertos, não use esse browser”. A frase de Tim gerou uma momentânea euforia culminando com uma abordagem sobre o controle.

Ora, viver em tempos onde o controle da web vem sendo a grande “menina dos olhos” de algumas empresas, Tim possa ter deixado claro mais uma vez sua postura em relação às atitudes no mínimo estranhas e oportunistas de alguns.

Ainda mais, sendo recentemente o País especulado quanto ao domínio da rede por esses ares, o ‘famoso’ caso da imitação Projeto ‘Sarkozy’, graças a um senador...





Foto: O ministro Gilberto Gil no #cparty2009 (via Renato Di Giorgio)


Outro grande momento foi à participação do ministro e cantor Gilberto Gil a tarde, selando um ciclo de palestras bem acompanhadas, como no caso da temática sobre Podcast, com uma trupe bem experiente. Como o pessoal do "Jovem Nerd"







Neste momento, na palestra do CpBlogs, até breve...






0713

Tuesday, 20 January 2009

Campus Party 2009, o que rolou no primeiro dia?


Foto: via: flickr.com/photos/rdg (Show da Banda O Teatro Mágico no #cparty2009)



Um pouco diferente do ano passado, o Campus Party Brasil neste ano já começou com um “principio de polêmica”, onde ‘estava’ a conexão de 10Gbs para os campuseirros que abriram o evento na tarde de ontem? Sim, infelizmente ainda não se sabe ao certo, mas a conexão só foi estabelecida já no inicio da noite, o que para muitos foi um pouco frustrante.

O outro ponto incomum com a edição anterior foram às filas, que até certo momento é compreensível se olharmos a dimensão da coisa. Porém, o que novamente chateou alguns foi o fato de não terem seus cadastros realizados de maneira correta, isto é, muitos tiveram que enfrentar uma nova fila para poderem obter seus respectivos crachás, por ironia ou não, mais uma vez passei também por isso.

Agora, em conversa com diversos campuseiros “veteranos” da outra edição, muitos expressaram um pouco de estranheza com o local do evento, haja visto, a proximidade dos stands de palestras serem praticamente ‘colados’ as bancadas do evento. Outro ponto incomum na opinião de nobres que conversaram comigo, foi à falta de sinalização das bancadas, diferentemente do ano passado onde faixas enormes penduradas no teto da Bienal do Ibirapuera deixavam claro de longe onde estava cada ‘tribo’.

Claro, críticas é sempre algo normal para tamanha complexidade e estrutura em um evento desses, mas fica aí o alerta para a organização do #cparty, não é prudente persistir nos mesmos erros, ou talvez não?

O lado bom desta segunda-feira foi sem dúvida, rever alguns personagens como o “Maggiar Villar de Casa Nova” pra quem o já viu no ano passado, alguns o tratam como o “doidão da gaita”. Na verdade, Casa Nova é bem irreverente e acabou de lançar um documentário que produziu na edição #cparty2008 este ano no #cparty2009. O vídeo está sendo exibido em alguns telões do evento diversas vezes ao dia. Ontem, ele nos concedeu mais uma ‘canjinha’, você pode conferir um pouco no usstream/willpubli (esta gravação está um tanto péssima) ou se preferir assista o vídeo feito pelo @renaton onde o Casa Nova exibe um pouco do seu talento.




Foto: via: flickr.com/photos/rdg (Casa Nova sendo entrevistado por Mr Manson e Chico Barney)




Outra atração que contagiou a todos, foi o show da banda O Teatro Mágico, bastante carismática com o público provavelmente deve estar se apresentando hoje novamente.

Nesta terça-feira foi dado inicio as primeiras palestras, pontualmente às 08h cerca de 200 pessoas já acompanhavam a primeira palestra no CP Desenvolvimento. Lembrando que o público que não pagou, já pode visitar o recinto nas áreas abertas até às 22h todos os dias. Antes, é preciso apenas imprimir o seu convite pelo site do campus.








Foto: via: flickr.com/photos/rdg (Willpubli conferindo o #cparty2009)






Fiquem antenados, novos posts a qualquer momento, a fila agora é para almoçar, e que fila!







video
Vídeo: via @renaton (http://br.youtube.com/watch?v=fvLqCo9PwFQ&feature=channel_page)









0713

Monday, 19 January 2009

Chegou a hora, aberta as portas do Campus Party edição 2009. Confira todas as dicas aqui.



Finalmente chegou o grande momento de rever amigos, gente nova e muita energia na bateria de atividades programadas para mais uma edição do Campus Party no Brasil. Diferente do ano passado, onde pude constatar pessoalmente o desprezo dos maiores grupos de comunicação em relação ao evento, este ano praticamente todos correram atrás de se fixarem por lá. A Rede Globo, por exemplo, só começou a gerar entrevista no evento passado logo após o segundo dia, quando a TV Cultura por sua vez já havia mudado toda a sua estrutura de programação em um grande stand no local.

Agora, vários stands e atividades serão realizadas por diversas emissoras no local, com investimento pesado, a Globo também irá assumir a transmissão da rádio oficial do Evento através do Canal Multishow.

Previsto para dar inicio as atividades às 23:30h desta segunda-feira, o #Cparty terá como convidado de honra um dos criadores do protocolo mais usado na rede, o “WWW” será representado por nada mais nada menos que Tim Bernes Lee, que esteve no Brasil no ano passado no programa Roda-Viva da TV Cultura.

Já a blogosfera “willpubli” também esta de mudança, nesta semana toda estarei postando direto do #Cparty inclusive compartilhando as postagens oficialmente no evento.

As dicas por sua vez, são em relação aos locais de alimentação e transporte. Haja visto, que no ano passado por ter sido na Bienal do Ibirapuera, as coisas pareciam ser um pouco mais fácil, mas, não se assuste, no Centro Imigrantes a nossa vida por lá também está facilitada. Vamos lá, a seguir algumas dicas de sobrevivência para todos no evento:

“Como faço para chegar no evento da melhor maneira?”
Sem maiores problemas, a estação de metrô mais próxima é a do Jabaquara, lá todos poderão se deslocar gratuitamente de Vans no horário das 09h às 23h todos os dias. Ou seja, o metrô me parece uma das melhores alternativas, além de mais barata não tem o stress do trânsito de sampa.

“Não vou comer no evento, mas quero pagar barato na comida, onde vou?”
Bom, este ano eu também não irei comer no evento, porém, a comida servida para quem pagou também a alimentação é ótima, posso assegurar, pois, estive me alimentando na edição anterior. O maior gasto fica por conta de quem quiser comer nas lanchonetes montadas no local. Além de caro, você não tem uma variedade de alimentação por lá. Salvo este ano que ainda não conferi a estrutura pessoalmente até o momento deste post.

A grande dica é cruzar o viaduto “Mateus Torloni” que dá acesso ao evento e se desfrutar das inúmeras padarias e bares que existem do outro lado da Rodovia dos Imigrantes. Confira alguns locais no fim desta postagem*.

“Preciso sacar uma grana no caixa eletrônico, onde encontro?”
Existem algumas agências bancárias próximas ao viaduto “Mateus Torloni”, anote aí os endereços:
_Banco do Brasil (10h às 16h) / Rua Jequitibás, 193;

_Banco Itaú (10h às 16h) / Rua Nelson Fernandes, 171;

_Banco Bradesco (10h às 16h) / Rua Nelson Fernandes, 75;

_Banco Unibanco (10h às 16h) / Rua das Canjeranas, 125.



*Confira aqui alguns lugares para a sua refeição (via Caderno Link do jornal Estadão):

_Carrefour (Cafeteria 24h e caixas eletrônicos do Bradesco) / Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 1318;

_Padaria Magia Pães e Doces (6h às 22h) / Rua Farjala koraicho, 56;

_Habibs (24h) / Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, 2285;

_Padaria A Padoca (6h às 22h – Aceita pedidos de almoço, pizza e pequenas compras pelo telefone 5016-6161) / Avenida Leonardo da Vinci, 2443.


No mais, se vemos por lá, até breve!





0713

Thursday, 15 January 2009

Lançamento: “O futuro da música depois da morte do CD”


Foto: Analogia a morte do Cassete com o advento do CD

Ontem recebi o release do mestre Sérgio Amadeu sobre o lançamento do livro “O futuro da música depois da morte do CD”, além de intrigante o livro estará disponibilizado gratuitamente na rede a partir do dia 19 deste mês. O lançamento oficial será no evento Campus Party dia 22, das 20h as 21h, na area de musica, com a presença de André Mehmari, Chico Pinheiro, Harry Crowl, Laan Mendes Barros, João Leão, Reinaldo Pamponet Filho, Simone Pereira de Sá, Sérgio Amadeu da Silveira e Irineu Franco Perpetuo.

Esta foi a mensagem enviada pelo Sérgio, “O debate sobre o impacto das redes digitais na criação, produção e distribuição da música não é novo. Entretanto, poucos livros brasileiros reuniram diversos olhares vindos de diferentes áreas do conhecimento para analisar a atual realidade musical. Navegando no mar revolto da digitalização em oceanos da propriedade intelectual, a coletânea discute as mudanças históricas no perfil e no papel dos músicos, compositores e intérpretes. Mixando o discurso acadêmico com os argumentos de quem vive de música no dia-a-dia, a coletânea O Futuro da Música Depois da Morte do CD é extremamente polêmica e útil nos debates sobre a reformulação da lei de copyright, para a formulação de políticas de incentivo à criação artística e à manutenção da diversidade cultural.

Os 16 autores partem da perspectiva da engenharia da produção, da sociologia, da teoria da comunicação, da musicologia, da filosofia e da interpretação e composição musicais, além da própria atividade empresarial. A única base comum dos textos é o reconhecimento das profundas mudanças que a digitalização e as redes informacionais trouxeram para o universo da música. Um dos objetivos da coletânea é mostrar a complexidade e as grandes diferenças teóricas, analíticas e prospectivas que existem entre aqueles que estão pensando o tema.

Os organizadores da Coletânea são Irineu Franco Perpétuo (jornalista especializado em música erudita) e Sérgio Amadeu da Silveira (professor de Comunicação e Tecnologia no Mestrado da Cásper Líbero).”



Segue o índice do livro:

Introdução

Irineu Franco Perpetuo - O impacto da tecnologia na cadeia da música: novasoportunidades para o setor independente.
João Leão e Davi Nakano - A música na época de sua reprodutibilidade digital.
Sérgio Amadeu da Silveira - O CD Morreu? Viva o vinil!
Simone Pereira de Sá - O MP3 e o fim da ditadura do álbum comercial.
Alice Tomaz de Carvalho e Riverson Rios - Fãs-usuários-produtores: uma análise das conexões musicais nas plataformas sociais MySpace e Last.fm.
Adriana Amaral - O impacto das novas tecnologias sobre o estudo de piano.
Eduardo Monteiro - O valor da música.
Andre Stangl e Reinaldo Pamponet Filho - Música Antiga e mídias modernas.
Ricardo Bernardes - A criação musical erudita e a evolução das mídias:dos antigos 78rpms à era pós-CD.
Harry Crowl - O "Cordel da banda larga": a canção de Gilberto Gile as perspectivas da sociedade em rede.Laan Mendes de Barros - E agora, o que eu faço do meu disco?
Pena Schimidt - Mudança dos ventos à vista.

Chico Pinheiro - O mundo mudou bem na minha vez...
André Mehmari - Sobre os Autores.



Saiba mais sobre os participantes da mesa no lançamento oficial (via repórter Patrícia Travassos - SBT):

ANDRÉ MEHMARI. Pianista, arranjador, compositor e multiinstrumentista. Apontado como um dos mais notáveis músicos jovens da cena brasileira e premiado tanto na área erudita quanto popular, teve composições e arranjos tocados por alguns dos mais expressivos grupos orquestrais e de câmara brasileiros, entre eles OSESP, OSB e Quinteto Villa-Lobos.

CHICO PINHEIRO.. Guitarrista, compositor e arranjador. Seu primeiro cd, Meia Noite Meio Dia (Sony, 2003) - com participações de Luciana Alves, Lenine, Ed Motta, Chico César e Maria Rita - foi incluído pelos jornais O Estado de S. Paulo, Folha de São Paulo e O Globo em suas listas de melhores do ano. Em 2005, lançou pela gravadora Biscoito Fino o cd Chico Pinheiro, incluído novamente nas lista dos "Melhores do ano" pelos três maiores jornais do país. Em dezembro de 2007 lança seu 3º cd, 'NOVA' (inaugurando também o selo 'Buriti') , em parceria com o guitarrista e compositor americano Anthony Wilson ( Diana Krall), disco que novamente foi incluído entre os melhores do ano pela crítica especializada no país, sendo lançado no brasil e Estados Unidos.

HARRY CROWL. Compositor e musicólogo. Professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná. Diretor artístico da Orquestra Filarmônica da UFPR e produtor de programas da Rádio Paraná Educativa. Compositor com carreira internacional e musicólogo/pesquisador de música erudita brasileira.

LAAN MENDES BARROS. Jornalista e editor; professor titular e coordenador de pós-graduação da Faculdade Cásper Líbero; doutor em Ciências da Comunicação pela USP; realiza pós-doutorado na Universidade de Grenoble, França; pesquisador sobre música e mídia, com vários artigos publicados sobre essa temática.

ANDRE STANGL. Filósofo, dj, videomaker, mestre em Cibercultura e Coordenador do Pontão Digital de Cultura Eletrocooperativa.

JOÃO LEÃO. Músico e graduado em Engenharia de Producao pela Escola Politecnica da USP, participa do grupo de pesquisa coordenado pelo Prof Davi Nakano.

REINALDO PAMPONET FILHO. Empreendedor Social com formação em Administração de Empresas.Fundador e Coordenador Geral da Eletrocooperativa.

SIMONE PEREIRA DE SÁ. Prof Adjunta do Programa de pós-graduação em Comunicação/LInha Tecnologias do Dep. de Mídia - Universidade Federal Fluminense. Cientista social - doutora em Comunicação. Pesquisa as cenas de música eletrônica no Brasil e as reconfigurações das formas de escuta e consumo musical (Pesquisador CNPq - nível 2).

SÉRGIO AMADEU DA SILVEIRA. Professor do Mestrado de Comunicação da Cásper Líbero, sociólogo e doutor em Ciência Política, pesquisa as práticas colaborativas e a propriedade dos bens imateriais.

IRINEU FRANCO PERPETUO. Jornalista, colaborador do jornal Folha de de S. Paulo, revista Bravo!, site da revista Concerto e TV Cultura. É correspondente no Brasil da revista Ópera Actual, de Barcelona. Co-autor, com Alexandre Pavan, de Populares&Eruditos, e autor de Cyro-Pereira - Maestro e do audiolivro História da Música Clássica. Traduziu, diretamente do russo, duas obras de Púchkin: Perquenas Tragédias e Boris Godunov.







0713

Wednesday, 14 January 2009

TV Cultura agora na internet.


Foto: Paulo Markun, presidente da TV Cultura.

Foi com muita alegria que recebi a notícia sobre o canal da TV Cultura na web. “Ao vivo e a cores” a emissora irá exibir 12 horas de programação diária. Através da tecnologia IPTV, serão transmitidas coberturas ao vivo, making of dos carros-chefe da programação e conteúdo pinçado no acervo do canal, como também entrevistas e musicais.

O nobre Paulo Markun, presidente da TV Cultura, ressaltou que a emissora é “a primeira TV aberta a produzir conteúdo exclusivamente para a internet.”

O lançamento oficial da IPTVCultura acontecerá durante a Campus Party, um dos maiores eventos do mundo sobre inovação tecnológica e entretenimento eletrônico, que acontecerá em São Paulo de 19 a 25 de janeiro no Centro Imigrantes.

Ao todo serão sete equipes de reportagem e um estúdio instalado num estande de mais de 500m², a IPTVCultura vai transmitir os destaques do evento.

Os principais conteúdos na semana do Campus Party serão focados em tecnologia.

Outra novidade que chega com a IPTVCultura é a antecipação ao vivo para o internauta de programa gravados como "Ao Ponto" (direcionado ao público jovem e apresentado por Jairo Bauer) e "Roda Viva".

Deixo aqui os meus parabéns a toda a equipe da TV Cultura e os meus sinceros votos para que este projeto cresça ainda mais. Sem sombra de dúvidas, além de ousado, esta iniciativa preconiza o futuro das TVs abertas na rede.

Para acessar o link basta clicar aqui.




0713

Tuesday, 13 January 2009

A internet e a política brasileira. A novela continua...



Em 2008 tivemos o tumulto das eleições municipais por todo o País. Como já não bastasse às famosas bizarrices em relação a alguns candidatos, também foi o ano da proibição do uso da internet na política. Enquanto os senhores do TSE discutiam liberar ou não o uso da internet pelos candidatos, um candidato às eleições presidenciais americanas nos deixava claro o poder de persuasão através do bom uso desta ferramenta.

O memorável case político de Barack Obama provou ao mundo que a internet na política pode sim ‘fazer milagres’. Se voltarmos um pouco, iremos nos lembrar que no inicio das prévias americanas, o candidato sequer parecia ser um nome forte na chapa dos democratas, porém, através do uso de ferramentas como Twitter, Site, Blog, Youtube, Gadgets entre outros, o cenário mudou. Bem, não preciso obviamente contar a história toda, fato é que Obama ganhou uma estrondosa popularidade mundialmente através da rede.

Mas, voltando ao Brasil, ‘nós’ ainda discutíamos usar ou não a web nas eleições. Veja você, agora o projeto de lei 291/08 do senador Expedito Júnior (PR-RO), tenta aprovar a liberação total da web, a qualquer tempo e hora, para se fazer campanha política.

Segundo o post publicado no blog do Fernando Rodrigues (UOL), o texto já esta pronto para a respectiva votação do senado. Ele diz ainda que “basicamente, altera o artigo número 36 da lei 9.504, de 1997, que passaria a ter a seguinte redação:

Art. 36. A propaganda eleitoral somente é permitida após o dia 5 de julho do ano da eleição, salvo na rede mundial de computadores (internet), em que é livre, a qualquer tempo, a manifestação do pensamento para fins eleitorais, vedando-se o anonimato e o uso de métodos contrários à lei penal.

Ou seja, o TSE ficaria totalmente dispensado de editar regulamentações complexas, obrigando os candidatos a fazerem propaganda apenas em seus sites próprios.”

A única ressalva é que este projeto ainda necessita ser votado pelo Senado e pela Câmara, o que não seria nenhuma tolice dizer, que talvez, poderemos sim ter as eleições de 2010 disputadas voto a voto na internet.



0713

Friday, 9 January 2009

O drama da revisão ortográfica. Instale um revisor ortográfico no seu Word.



Enquanto redatores, revisores, professores e todos os mortais de nacionalidade brasileira se descabelam para se alinharem com as novas regras ortográficas, um software disponibilizado gratuitamente na rede ‘até o memento’ parece ser uma possível solução para o seu Word.

Bem, confesso que já o baixei tanto na minha máquina pessoal como também no meu trabalho, porém, não posso dizer ao certo se ele realmente está de acordo com todas as normas, haja visto, que ainda não consegui testá-lo realmente.

Esta dica que já está circulando na rede em outros blogs, ao que tudo indica, é confiável e pode sim ajudar você na hora de redigir o seu texto.

No entanto, irei fazer alguns testes com as novas mudanças, isto é, as palavras e suas variações aceitáveis desde então, caso este software não atenda as normas, também irei publicar um post orientando a todos.

Agora, se você quiser baixar no seu computador, basta clicar no link no fim deste post. Peço apenas a gentileza de me enviarem um email, caso este corretor ortográfico não funcione corretamente.

Baixe o corretor aqui:




0713

Noteboocks estão vendendo mais que PCs.



Depois de terem superado o número de televisores vendidos, os computadores marcam outro acontecimento memorável, seriam os resultados da geração nascida no inicio da era da digital ou os reflexos de uma sociedade digitalizada cada dia mais?

Quem um dia ousou imaginar, isto é, sendo mais especifico os remanescentes da era analógica como eu, vivermos hoje cada vez mais rodeados de parafernálias tecnológicas. Ao sair de casa e se deparar com tanta coisa, nossa cabeça recebe em cheio, um tipo de ‘overdose tecnológica’. É espantoso o termo, mas já parou algum dia e contou os aparelhos eletrônicos a sua volta por onde passa?

Segundo matéria da info, as vendas de notebooks ultrpassaram as de PCs, “São Francisco - As vendas globais de notebooks superaram pela primeira vez as de desktops no terceiro trimestre, de acordo com a iSuppli."

"O acontecimento é efetivamente um divisor de águas para a indústria de computadores.

Foram comercializados 38,6 milhões de notebooks no período, valor 40% maior em comparação ao registrado nos mesmos três meses de 2007, enquanto 38,5 milhões de desktops foram vendidos, total 1,3% menor em relação ao do terceiro trimestre do ano passado.

A HP se manteve na liderança da indústria de computadores, vendendo 14,9 milhões de unidades e respondendo por 18,8% do mercado no terceiro trimestre.”

Ainda segundo a Reuters, este ano a perspectiva é de um crescimento de 4,3%.



0713

Wednesday, 7 January 2009

Mais que "Diabos" tem a ver a crise americana com a publicidade?



Ora bolas já dizia o profeta, "alarmantes pessimistas, mansos ou cordiais", eis a grande questão. Se o tema do momento aflige alguns e beneficia outros, o enfoque me parece além de contextual, enfatizado em outras situações. Não é de hoje que a sociedade americana se mantém mera consumista, porém, o que a publicidade tem a ver com tudo isso?


Vejamos, apontado como um dos motivos pela atual crise, a falência do mercado imobiliário nos E.U.A tenha sido consumida pela a má cultura dos crediários e as famosas hipotecas. O post não vem aprofundar as questões econômicas na ocasião, mas, chamar um ponto de observação especificamente sobre o papel da publicidade nesta temática.

Se observarmos um pouco mais além a sociedade norte-america, nos deparamos logo com seus anseios de consumo, como a paixão exacerbada dos capitais. Algo hoje, intrínseco também nas demais economias capitalistas pelo o mundo. O que pode ser muito bem descrito nas obras de Karl Max, onde ele fora o maior entendedor e talvez, porque não, o único a definir muito bem o sistema capitalista.

Um ponto em especial, envolve toda a esfera da observação neste texto, seria a publicidade a grande responsável por enraizar a cultura do "compre mais" juntamente com a 'ideologia' dos longos prazos para pagar? Bem, no Brasil não é tão diferente, vemos todos os dias grandes campanhas nos diversos meios mediáticos valorizando as 'trálala' formas de pagamento e os mais diversos produtos, prontos, ou ao menos teoricamente, capazes de satisfazer o seu interesse emocional.

Por anos e mais anos, a publicidade americana, além de copiar o padrão inglês, foi capaz de fomentar como também, propiciar o hábito robusto das compras pela sociedade americana. Seu poder de percepção foi capaz de padronizar o gosto comum, na mesma batida que continuou a enaltecer esse mesmo poderio entre os interagentes do cenário.

Posso citar uma das reflexões do mestre Sérgio Amadeu, onde ele também diz que a economia é repleta de fatores psicossociais, e não exatamente uma 'regrinha' ou 'receita' para o controle dos acontecimentos.

Temos aí, um visível ponto de reflexão, as campanhas publicitárias são sim, capazes de influenciar as tendências sociais, e ainda, direcionar padrões psíquicos entre as pessoas, seus grupos e o espaço onde vivem.

Pode parecer um tanto quanto preconceituoso esta analogia, mas não se exalte, basta ser totalmente imparcial para ver que os esforços publicitários das diversas agências americanas contribuíram e muito em determinado momento para a tal crise.

A publicidade por sua vez, não é o 'bicho-papão' do cenário, ela busca cumprir o seu papel no contexto, o alerta fica por conta dos governantes e suas diretrizes, um outro ponto em comum nisso tudo, é que a história nos deixa claro que todo o império um dia caiu. Entenda como quiser esta citação, fato é que ela não pode ser desprezada.

Cortar a publicidade ou fazê-la menos agressiva, não me parece o mais correto, como tudo indica, não ser um fator primordial para mudar o cenário mundial e seus costumes de consumo. A grande questão é sem dúvida, como reeducar economicamente a sociedade mundial.

Outro ponto é que com a também crise automotiva no país, diversos grupos de agências de publicidade estão a flor da pele com as suas demissões. A Omnicom foi a primeira das grandes companhias controladoras de agências de propaganda a anunciar um grande número de demissões em dezembro, quando informou que eliminará cerca de 5% dos seus funcionários, o que representa 3 mil pessoas. Mais cortes de pessoal são esperados no EUA e na Europa em grupos como Interpublic e WPP à medida que as agências e seus clientes concluem seus orçamentos.

Será 2009 um ano sombrio? Comece a pensar...





0713

Friday, 2 January 2009

Mais um ano no Campus Party Brasil 2009.


Foto: Willpubli postando direto do evento, by Frederico Mendes.

Feliz Ano Novo, caros leitores é com muita alegria que começo mais um ano depois de alguns dias de merecida folga do trabalho. Pensei em fazer uma retrospectiva das postagens que foram publicadas nesta blogosfera, mas, acabei mudando de idéia, afinal, na minha sincera opinião as retrospectivas nem sempre são muito bem-vindas. E claro, todo o conteúdo postado aqui pode ser facilmente encontrado através das tags (labels) no canto direito do blog.

Bem, a grande novidade que quero compartilhar com todos hoje, é que pela segunda vez irei estar cobrindo a segunda edição de um dos maiores eventos de tecnologia do mundo. Para quem esteve presente na primeira edição do Campus Party Brasil em fevereiro de 2008, já sabem do que estou falando.

Além de estar frente a frente com diversas descobertas tecnológicas, também pude conhecer muita gente interessante, amigos do mundo digital, conversas antes só por email, puderam finalmente ser comutadas no mundo físico.

E este ano não irá ser diferente, entre os dias 19 a 25 de janeiro estarei diretamente do Centro Imigrantes (São Paulo), palco da edição do evento postando as mais diversas observações e curiosidades. Lembrando que tudo acontece durante 24 horas interruptas todos os dias, com exceção do domingo, e manter a bateria ligada não é fácil, no mais, ficar parado por lá é muito mais difícil, haja visto as inúmeras atrações.

Caso vocês queiram dar uma passada pelas postagens do evento no ano anterior, basta clicar aqui.

Ah!!! Já ia me esquecendo, a blogosfera ‘willpubli’ irá passar por algumas mudanças no seu layout durante o ano, sempre é bom algumas mudança, aliás, aceito sugestões também (=D). Um bom final de semana pra todos, até a próxima semana...






0713